Île de la Cité… Tour Eiffel

Dedicamos o dia para explorar a Île de la Cité, acabamos acordando um pouco mais tarde que o normal, estávamos cansados dos primeiros dias de turismo intenso. Tomamos o generoso café da manhã do hotel, e partimos para a Ilha. Descemos do metrô na estação Cité e nos deparamos com o belo e florido Marché aux Fleurs. O mercado estava todo florido, com tudo quanto é tipo de planta. Aproveitamos para fazer algumas fotos, afinal, mesmo que o verde brasileiro seja exuberante, não encontramos mercados de flores assim por lá.

Fomos para nosso primeiro item na lista de coisas na Île de la Cité: a Saint Chapelle. Na minha primeira ida a Paris não visitei, mas dessa vez fiz questão. Os vitrais são lindos. Dá para passar horas admirando-os. A parte de baixo da capela ficou um pouco prejudicada pela loja para turista que criaram ali. Sei que sou turista, mas sinceramente, turistas estragam alguns lugares…

Continuamos nosso passeio pela Notre Dame, que só tínhamos visto pelo lado de fora no primeiro dia. Na primeira vez que visitei a igreja achei ela mais bonita, talvez pelo fato de tudo ser novo. Dessa vez só achei ela bonita, mas sempre vale a visita. Já era hora de almoçarmos, então caminhamos em direção a Île de Saint Louis. Lá comemos dois belos sanduiches e um quiche loraine, sentados na beira do Sena. Nada mal! Para terminar o almoço experimentamos o sorvete da famosa Berthillon. É bom, mas não achamos de outro mundo.

Saimos das ilhas e suas belezas para visitarmos o museu da Fundation Cartier-Bresson, em Montparnasse. Pra quem gosta de fotos, vale a visita. Sempre há ótimas exposições de fotos, dessa vez estava expostos trabalhos do fotografo David Goldblatt, com ótimas fotos P&B da Africa do Sul. Quando saímos da exposição já estava na hora do lanche da tarde, afinal, tínhamos mais itens na agenda. Comemos uma bela tortinha de framboesa, enquanto caminhávamos por Montparnasse. Passamos na frente da Fundation Cartier, que fica completamente diferente com vegetação no meio do prédio.

Hora de rever e subir na Torre Eiffel! Pegamos o metrô, e algumas estações depois estávamos do lado da torre. Por incrível que pareça, quase não havia filas e o dia estava lindo, céu azul, sol e calor. Subir na torre é sempre divertido e a vista é linda. Como havíamos coordenado o horário, chegamos lá em cima a tempo de assistir o pôr-do-sol. É muito bonito! Ficamos lá em cima admirando a vista, mas conferindo o horário, para assistir do trocadero o “show” de luzes da torre. Às 21h estávamos no Trocadero, esperando o espetáculo.

Terminamos o dia comendo um verdadeiro hamburguér a la française, estava delicioso, assim como o dia.

Comidas

Na outra vez que a Nanda veio a Paris, ela não aproveitou todos os cafés, restaurantes, boulangeries, etc… Dessa vez a viagem vai ficar marcada pelas comidas francesas. Mas antes de irmos almoçar, demos uma passeada por Montmartre. Começamos visitando a Sacré Cour. Obviamente fomos atacados por um daqueles marginais que ficam na escada, berrei um sólido “Non” e apertei o passo. Evitei o pior, mas é muito chato ter que passar por isso. Também fiquei com a impressão que a frança empobreceu em 3 anos, haviam muito mais marginais e vendedores ambulantes.

A Nanda adora a Sacré Coer e ficou bastante emocionada vendo a igreja. Depois de visitarmos a igreja, caminhamos por Montmatre. Vimos as videiras e todos os corredores de casas antigas que ali estão. Descemos o morro, e ao invés de pegarmos um metrô, resolvemos caminhar até o nosso almoço.

Chegamos tranquilamente no Chartier, depois de uns 20 minutos de caminhada. O Chartier é um restaurante que existe desde de 1896, no mesmo local. A comida é típica francesa e o local é bastante legal de visitar. Nos deliciamos com um steck au poivre e um steck grillé. A Nanda teve que pedir para eles passarem mais a carne, ela veio quase mugindo na primeira vez. Se o pranto principal estava ótimo, as sobremesas foram espetaculares. Comi um coupe mont blanc e a nanda comeu um gigante profiterole com sorvete e calda de chocolate. Saímos de lá rolando, e o preço não foi nenhum absurdo: €36,70 para os dois.

Já que estavamos perto da Gallerie La Fayette, resolvemos visita-la. A visita rendeu um óculos escuro para a Nanda e mais umas mantinhas, para aguentar o frio. Quase na frente da Gallerie há uma Apple Store (além da Opéra obviamente), que obviamente tive que visitar, a segunda em Paris! Passeamos pelo arredores da Opéra, mas como ela já estava fechada para visitação, deixamos para outro dia.

Continuamos nossa pequena caminhada indo até a Igreja Madeleine e em seguida pela Rue de Rivoli. A Angelina estava fechada para um evento e não podemos experimentar o famoso chocolate quente, pena! Terminamos o dia jantando uma pizza perto do hotel e completamos a janta com um créme brúlle!