Estrada sem fim

Acordamos em Etretat com muitos quilômetros pela frente, um bom trecho de carro e outro tanto de trem. Tomamos nosso café da manhã, comprado numa boulangerie, olhando as falésias na beira da praia. Nem o vento congelante atrapalho o momento. Acertamos o hotel e partimos para a estrada, eram pelo menos 3h de viagem até Lille. As auto-estradas francesas são muito boas, valem o que se paga de pedágio.

Utilizamos pouco o GPS, somente para nos guiarmos até a auto-estrada e depois para chegarmos em Lille. Dessa vez analisamos toda a rota antes de partimos para a estrada, foi bem melhor assim. Às 15h chegamos na Gare de Flanders, em Lille. Próximo trem para Brugge era às 17h, tínhamos tempo para descansar da estrada, almoçarmos e comprarmos as passagens.

Foi a primeira viagem de trem da Nanda, ela adorou a experiência, parecia eu na minha primeira viagem de trem. Chegamos às 18h33 em Brugge, logo estávamos no hotel, bastou pegarmos o primeiro ônibus em direção a praça central. Aproveitamos o final do dia, afinal só escurece às 21h, para conhecer um pouco da cidade. Nos assustamos com o preço dos restaurantes, preços para turistas. Acabamos jantando no Quick, era a melhor opção e o mais perto do hotel.

Etretat

Outra ótima dica que recebemos: visitem Etretat. Saímos cedo de Granville, rumo a Etretat e suas falésias. Foram uns 240km, passando pelas gigantescas pontes que existem em Le Havre. Como anotamos os principais pontos da rota, só utilizamos o GPS nos pontos mais críticos. A sinalização nas estradas é muito boa, tendo um mapa e planejando a rota antes é muito fácil de se locomover de carro pela França.

Chegamos em Etretat e já era hora de almoçarmos, antes de irmos para praia ver as falésias. Comemos um crepe de salmão, nos instalamos no hotel e partimos para a praia, que estava há 3 quadras dali. Chegando na praia nos deparamos com as incríveis falésias! A cidade foi criada bem no meio do vale entre as falésias. Na praia não há areia, somente pedras, de todos os tamanhos e formatos. A sensação de andar no meio de brita é engraçada, o pé afunda.

Subimos nas falésias dos dois lados da praia. A vista é impressionante. Definitivamente deve ser incluído numa visita pelo interior da frança. O tempo estava ótimo, apesar de nublado, não havia vento e a temperatura estava amena. A cidade deve fica explodindo de turistas no verão.

A noite começou a chover e ventar, logo o frio virou congelante novamente. Jantamos batatas para nos aquecermos.