Rembrandt

Último dia de turismo em Amsterdam, como todos os principais passeios eu já tinha feito, resolvi ir na ex-casa do Rembrandt. Mas antes de chegar lá passei na frente da casa da Anne Frank, que tinha uma fila quilométrica na frente. Não achei que valia a pena visitar a casa, afinal eu nem li o livro! Segui caminhando, errando pelos diversos canais da cidade. Consegui chegar sem dificuldades no museu. A visita pela casa é sem graça, remobiliaram a casa que pertencia ao Rembrandt. As únicas duas coisas legais é que há um atelier de gravura onde eles demonstram o processo que ele usava para imprimir (que é parecido/igual ao atual, só a prensa que era de madeira) e que eles ensinam como fazer tinta à óleo!

O melhor de tudo está depois do passeio pela casa, uma coleção de umas 100 gravuras do Rembrandt. Mostrando toda a evolução da técnica usada por ele, é realmente impressionante de ver. Várias dessas gravuras foram impressas milhares anos depois da morte do autor, alguns artistas realçavam as antigas placas para poder imprimir mais vezes. Até fiquei com vontade de fazer gravura.

Depois do museu, dei uma volta pela Watersloonplein que fica ao lado e segui até o ARCAM, um museu dos arquitetos daqui, mas que estava fechada no domingo. Só vi o prédio por fora. Atrás do prédio fica o museu de ciências NEMO. O telhado do museu é um grande terraço, almoçei um cachorro-quente no bar que fica no topo do prédio. Junto com o museu está uma replica de um barco de 1700, quando os holandeses dominavam os mares. Aproveitei para visitar, especialmente por que custava só 2 euros para estudantes.

Como eu tinha que arrumar a mala, e me preparar para mais um dia de viagem, voltei para o hostel depois de caminhar mais um pouco. Para matar um pouco de tempo fiquei sentado na portaria do hostel, escrevendo posts e vendo as fotos do dia. Nesse meio tempo, apareceram algumas pessoas por lá, uma americana e uma canadense que estão fazendo intercâmbio em Copenhagen e vieram passar o fim de semana em Amsterdam, depois chegou um cozinheiro inglês e um senhor americano. Conversamos bastante e demos várias risadas. Depois começei a minha saga de empacotar tudo e zipar tudo dentro da mala. Preciso comprar uma mala extra, livros ocupam muito espaço.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *