Ludwig Museum

No meu guia de viagem falava bem do museu Ludwig, então decidi visitar esse museu. Na cidade há vários museus, como o museu de arte romana, um museu com impressionistas, etc. A coleção do museu Ludwig é formada por arte moderna e contemporânea. Mas antes de ir no museu, aproveite para subir os 150m da torre da Dom! Subir até que foi tranquilo, a vista é fantástica de cima da torre. Único problema são as grades espalhadas por tudo, mas consegui tirar algumas fotos boas, o que mais atrapalhou foi a neblina! De cima da torre avistei alguns prédios meio interessantes e resolvi ver eles de perto.

Obviamente ver algo de cima de uma torre é bem diferente de caminhar pelas ruas e tentar chegar no local, fiquei um pouco perdido mas logo avistei um prédio familiar (que eu tinha visto da torre) e consegui acertar meu caminho. Um dos prédios, com fachada de vidro é do arquiteto Renzo Piano, mas não gostei muito do prédio. A fachada de vidro era legal, mas meio que só isso.  Depois dessa volta rumei para o Ludwig Museum.

Não achava que um museu numa cidade do interior da alemanha pudesse ter tão bom. A coleção é impressionante, quase qualquer artista importante de 1900 para hoje está no museu. Em alguns casos há uma sala inteira dedicada ao artista, ou metade de uma sala. Há cinco quadros do Chagall, um do lado do outro, impressionante! No subsolo está a coleção de arte pop do museu, com ótimos trabalhos do Andy Wahrol, Lichtenstein, Claes Oldenburg, etc. Além dessa coleção permanente impressionante havia uma exposição temporiária do Mondrian, mostrando todo a evolução dele. Dos primeiros trabalhos figurativos até os trabalhos em vermelho, azul e amarelo. Passei mais de três horas no museu e poderia ter ficado mais tempo, mas já estava verde de fome a essa hora.

O museu como arquitetura não é muito interessante, mas ele faz parte de um complexo de dois museus, cinema e uma sala de concertos, ocupada pela filarmônica de Köln. Os arquitetos quando projetaram não foram muito espertos, fizeram uma grande praça e colocaram a sala da filarmônica embaixo! Então durante concertos e ensaios vários funcionários e placas ficam espalhadas pela praça, pedindo para não andar por ali.

Aproveitei que era cedo e atravessei o Reno, não imaginava que ele fosse tão grande. Demorei alguns minutos para atravessar ele a pé – não, eu não tentei atravessar a nado. Do outro lado do Reno se tem uma vista ótima da enorme catedral. Há um prédio novo, em forma de triângulo / circulo, com um terraço no 28º andar, de lá avista-se toda a cidade. Mas o terraço é fechado com vidro então foi difícil tirar boas foto.

Saindo de lá, esperei anoitecer para tirar uma foto noturna da cidade e também tinha que dar um tempo até eu poder ligar para a minha prima. Não foi uma boa idéia ficar parado na beira do rio, congelei totalmente! Mas as fotos valeram a pena. Jantei no restaurante em frente ao hostel, um Schnitzel com champignons e nata, tava muito bom.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *