Dresden / Praga

Acordei cedo, tomei um ótimo café da manhã e saí para a Bahnhof de Dresden. Chegando na Bahnhof voltou a cair alguns flocos de neve, estava uma manhã linda. Meu trem chegou no horário, novamente vagões tchecos (Damn!), na minha cabine tinha um croata (ou iugoslavo) com a namorada mongolesa (da mongólia). Demorei uma meia hora pra entender que eles falavam alemão entre si. O alemão deles era MUITO ruim, apesar deles morarem aqui. Entender alemães nativos é muito mais fácil.

A viagem até Praga foi tranquila, as instruções do hostel de como chegar nele nem tanto. Na página eles falavam dois modos de chegar nele, um com tram e outro com metrô. Achei que de metrô era melhor, afinal tinha uma estação dentro da ferroviária, ledo engano! Primeiro erro das instruções do hostel foi fazer eu descer na parada errada, afinal quando se menciona “descer em Museum Station” eu interpreto como sendo a parada final que eu devo ir! Mas eu precisava andar mais duas paradas. Ok, voltei para o metrô e cheguei na estação correta (que era a que eles usavam como direção nas instruções). Segundo problema, a estação do metrô fica em cima da montanha! I mean, way up! Único modo de chegar no hostel, descer uma gigante escadaria. Ótimo, era isso que eu precisava para completar meu dia. Desci a escadaria, cheguei no hostel, tive problemas com as rodas da mala, tudo deu errado nesse dia. Se eu estava de bom humor de manhã, havia perdido todo ele agora.

Me instalei no quarto e aproveitei que era cedo para dar uma volta pela cidade, conhecer o centro e pensar no que fazer no dia seguinte. A cidade estava tomada de turistas de todas as nacionalidades possíveis. Caminhei um pouco, passei na famosa ponte da cidade, tirei algumas fotos aproveitando o dia de sol e muito frio. Passei na frente da casa onde o escritor Kafka nasceu, e fui enganado a acreditar que ali era o museu Franz Kafka, malditos tchecos! Começei a não gostar deles. Acabei visitando a minúscula sala que havia no prédio e pagando obviamente.

Continuei meu passeio pelo centro de Praga, passei na frente do relógio mais estranho que eu já vi. Ele marca além das horas, o dia do mês, as fases da lua e algumas várias outras relações entre os planetas. Estava escurecendo e ficando frio, muito frio. Acho que foi o pior frio que eu peguei em toda a viagem. Não dava para ficar na rua, jantei e fui para o hostel dormir, estava cansado do meu longo dia.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *