O filho da puta do taxista

Como tinhamos que estar cedo no aeroporto e a Lu continuava muito gripada, marcamos um taxi. A pior corrida de taxi que eu já tive e foi literalmente uma corrida. As placas de velocidade máxima 80km/h passavam e o ponteiro do carro não baixava de 140km/h, acho que o motoristava estava puto da cara de ter que fazer uma corrida no domingo, dia de reis, pela manhã. Aqui eles não valorizam tanto o Natal, mas dia de reis, que é quando as crianças ganham presentes. Quando chegamos no aeroporto e a corrida que era pra ser em torno de 30 euros deu quase 40, peguei uma nota de 100 euros para pagar, até por quê não tinha nota menor. Acho que foi aqui que o motorista ficou realmente puto da cara, e disse que não tinha troco! Mas que ótimo, como um taxista não tem troco para uma corrida de quase 40 euros? Corri atrás de troco pro filho da puta do taxista, consegui trocar num câmbio.

Achavamos que com isso nosso dia ruim teria acabado, grande engano! Procuramos nosso vôo num dos paineis e cadê ele?? Fomos atrás da compania aérea, que depois de um tanto de confusão nos informou que o vôo tinha sido adiado para às 16h50. Isso foi em torno das 9h da manhã. Então passamos o resto do dai trancados dentro do aeroporto… programão. Pelo menos a viagem para Porto foi tranquila, e chegar num lugar onde falam português com sotaque engraçado sempre é divertido. Chegar no nosso hostel foi bem fácil usando o Metro (sim, aqui eles escrevem e falam Metro, sem acento).

Para terminar o dia bem, resolvemos sair para jantar. Precisavamos comer um bacalhau. Um dos poucos restaurante que achamos abertos na beira do rio e que não estava completamente vazio foi o escolhido. Comemos bacalhau com batatas e ainda pedimos uma sobremesa, por apensa 25 euros! Sim, portugal é barato!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *