Dublin

Mais um dia em Dublin, o último da minha visita pela irlanda, resolvi visitar os dois museus de arte moderna. O primeiro que eu fui fica ao lado do Writers Museum, e se chama Huges Lane Museum. Eles possuem uma coleção de impressionistas franceses, vários trabalhos de artistas irlandeses, quase toda a coleção é formada por pinturas. Aqui eu descobri que o artista Francis Bacon é irlandes. Na ampliação do museu foi recriado o último atelier dele, transportaram tudo para cá. Ele trabalhava no meio do caos. Há bons trabalhos dele espalhados pelo museu.

Nesse dia eu esqueci de levar meus sanduiches para Dublin, então acabei comendo McDonnald’s. Dublin é uma cidade cara, não podia me dar o luxo de gastar 20 euros num almoço. Depois de comer, peguei o tram (eles só tem duas linhas de tram) e fui até a outra ponta da cidade visitar o Irish Museum of Modern Arts (IMMA), próximo ao inicio do Phoenix Park (um parque enorme que eles tem, e não visitei). Acho que quando eles deram o nome eles queria dizer Contemporary Arts, mas okey só uma questão de nomenclatura. Vi bons trabalhos lá, mas como não podia tirar fotos não posso mostrar o que vi.

O museu funciona num antigo hospital militar de 1700 e alguma coisa, num dos lados do museu há um pequeno jardim todo arrumado, com flores e arbustos. Um pouco mais longe estão dois cemitérios, tinha alguma história sobre os cemitérios mas não lembro agora, e não altera muito o relato. Voltei do museu a pé, passando na frente da fabrica da Guinness, até pensei em fazer o tour pela fábrica, mas custava 16 euros! Obviamente começou a chover, e com isso veio o vento e o frio. Achei uma Starbucks e tomei um cappucino para me esquentar e secar um pouco. Cansado de tanto andar, voltei para Navan, ainda tinha que refazer minha mala.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *