Barcelona

Primeiro dia em Barcelona estavamos sem idéia do que fazer, então nada melhor do que dar uma mega volta a pé pela cidade. A Lu queria ver as obras do Gaudí, segundo ela era preciso fazer isso para “cair a ficha de que estou em barcelona”. Saimos do hostel em direção ao Palau Güell, mas antes caminhamos até a beira mar e de lá seguimos por Las Ramblas. Para a nossa decepção o Palau Güell estava fechado para reformas. Mas como estavamos perto do MACBA e do CCCB, caminhamos até lá, mas não entramos nos museus – hoje era dia de reconhecimento de território. A fachada do MACBA é bem legal, acho que consegui fazer fotos boas (ele foi projetado pelo arquiteto Richard Meier).

12326
12335
12338
12344
12350
12356
12362

12365
12368
12371
12380
12386

Como era cedo, e ainda não tinhamos visto Gaudí, fomos atrás da próxima casa dele que tinhamos marcado no mapa, Casa Batlló. No caminho passamo na frente da fundação Antoni Tàpies e vimos o que tinha de programação por lá. Logo chegamos na frente da Batlló, mas tinha uma fila gigantesca para entrar e um preço abusivo (algo em torno de 12 euros). Decidimos que não valia a pena pagar tudo isso para entrar ali. Saímos de lá e passamos em frente a La Pedrera, outro prédio do Gaudí, mas achamos melhor deixar para visitá-lo outro dia.

12392
12395
12398
12404

12413
12416
12425
12428

A essa altura do dia, estavamos mortos de fome, fomos atrás de algo para comer. Comer quando não se tem muita grana é sempre complicado, caminhamos bastante até encontrar um PF barato. Os PFs váriam entre uns 7.50 euros e 14 euros, conseguimos encontrar um de 8.50. Depois do almoço, ainda não satisfeitos por não ter visto nada do Gaudí resolvemos ir na Sagrada Familia. Chegando lá, mais uma fila gigantesca, mas dessa vez estavamos determinados em entrar. Uma meia hora de fila, ingressos comprados (com um preço abusivo, se tratando de uma igreja). Grande decepção quando entramos, a igreja está totalmente em construção e os acessos ao terraço estavam fechados. Tirei algumas fotos lá dentro e tentei curtir a arquitetura do Gaudí, mas ainda não consigo gostar dos prédios dele, embora eu entenda a importância dele para a arquitetura contemporânea.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *