Sacre Coeur

Eu e a minha irmã acordamos um pouco mais tarde hoje e para aproveitar mais um dia de sol, resolvemos visitar a igreja Sacre Coeur. Mas antes a descoberta do dia. Depois do meu quarto banho em Paris descobri por quê os franceses não tomam banho: eles não descobriram o chuveiro! Tomar banho numa banheira só com um chuveirinho de mão e sem uma cortina entre a banheira e o resto do banheiro é um inferno! Aposto que se eles tivessem chuveiro em casa tomariam mais banhos. Voltando ao passeio do dia, pegamos o metro, RER e metro novamente para chegar na base da montanha onde se situa a igreja.

11347
11350
11353
11356
11362

Na rua que leva a escadaria da igreja tinha várias lojas de armarinho, minha mãe ia adorar visitar todas e comprar milhões de coisas para costurar. Entramos numa para bisbilhotar. Como minha irmã já havia visitado a igreja da outra vez que veio a Paris acabei subindo sozinho. A igreja é alta, muito alta. Tirei algumas fotos boas, devo coloca-las na gallery em breve. Algum católico me explica por que raios não se pode tirar fotos dentro de igreja? Como eu vou queimar no inferno por não ter sido batisado tirei várias fotos. Ah, e novamente cheguei na hora da missa, ou algo parecido, tinha um coro de freiras cantando e yadda-yadda.
Encontrei minha irmã novamente na porta de igreja e caminhamos por Montmartre. Há uma infinidade de lojas de quinquilharias, restaurantes, cafés, etc no entorno da igreja. Descemos o morro por várias ruas tortuosas, até chegarmos numa avenida principal. Nessa avenida havia uma infidade de sex-shop’s, peep-show’s, cinema triple-X, etc, tem até o famoso Moulin Rouge, que é completamente sem graça por fora e não paguei para ver o que tem lá dentro.

Almoçamos no restaurante Chartier, comi um tagliattele com uma carne ensopada, tava bom! Ainda pedimos sobremesa e café, finalmente uma refeição completa. Depois fomos até a fundação Cartier. O prédio da fundação Cartier é genial! Há uma fachada de vidro acompanhando a altura dos prédios vizinhos com um pátio atrás, e o prédio principal está situado no centro do terreno com toda a estrutura de ferro e vidro.

11371
11381
11385
11388
11393
11397
11404
11411

Após seguimos até a fundação Cartier Bresson, onde tinha uma exposição da Helen Levitt, uma fotografa americana da mesma geração que o Bresson. Ela fotografa muito a vida cotidiana dos bairros de NYC. Vimos um curta que ela dirigiu e várias fotos em PB e coloridas. Muito boas as fotos dela, mas os catalogos que tinham a venda tinham um preço proibitivo para nós, latrinos americanos.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *