Florianopolis – Rio de Janeiro

O tempo, como dizia a previsão, não ajudou e não consegui mais contemplar a paisagem, mas não me importei muito. Consegui continuar sozinho na minha fileira, great! Espero que no trecho Rio – Lisboa aconteça o mesmo. Logo serviram um Snack++: sanduiche de queijos (sim, no plural, tinham uns 4 tipos de queijo) e Coca-Cola.
7 minutos de nuvem separavam o sol semi-escaldante da chuva do Rio de Janeiro (alguém se candidata a calcular a altura das nuvems?). Às 13h30 estava no sagão do GIG (Aeroporto Internacional Tom Jobim aka Galeão), liguei para casa pra contar do meu status atual, e fui almoçar. Agora estou sentando olhando aquela famosa igreja que fica em cima de uma morro, que as favelas ainda não ousaram tomar conta. WiFi aqui é pago, maldita VEX!

Primeira perna da viagem completada, agora só esperar o próximo vôo. Ah! Chove muito aqui.

Fatos curiosos do dia:

  • Ex reitora da ufrgs acaba de passar na minha frente.
  • A TAM não sabe alemão, no seu mini guia de Frankfurt está escrito na seção de frases utéis: “Quanto custa? = wievel kost?”
  • A TAM não sabe alemão, take 2:
    • Lê-se num paragrafo sobre as Frankfurters: “Até hoje fazem sucesso, com batatas fritas cortadas bem finas (as bratkartoffel, chucrute, mostarda, mais forte que a consumida no Brasil, e Sauerkraut, um tipo de repolho fermentado.” Enfases minhas. Será que eles não sabem que chucrute é Sauerkraut? ou será que eles não sabem que chucrute é feito de repolho fermentado? Who knows!
  • Must I write in English to have spelling? Yes! Damn!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *